sexta-feira, 30 de março de 2012

SALADA DE TRENS: COMO É UM CORREDOR FERROVIÁRIO AMERICANO!

Caríssimos,

O vídeo que trago aqui merece esta nota de reflexão. Há anos que os Estados Unidos estão numa crise manipulada para que o mundo perca o modo de vida americano de vista como referência de padrão para se elevar na vida. Há dois anos, por causa dessa crise composta por farra de empréstimos impagáveis e a inserção de gente ilegal em excesso na previdência social americana, houve uma falta de dinheiro e de poupança no país diferente dos anos anteriores e isso fez a Union Pacific estacionar "centenas" de locomotivas novíssimas por meses, uma cena desoladora. Se a marionete conspiradora anti-americana que se deu o direito de mandar buscar e matar qualquer americano contra o governo dele e ainda gasta milhões com revoluções (occupy) e a suplantação da Constituição pela lei islâmica sharia e tantas outras ofensas e roubos de "trilhões de dólares" (sim, obama o queniano sem documento adotado por uma família de terroristas comunistas em Chicago e descendente do rei russeim, um inimigo da cristandade), a economia americana estaria praticamente recuperada e este vídeo mostra que o país, com todas as sabotagens "obâmicas" de dentro e de fora, voltou a crescer a quase 3% graças à persistência do povo americano que é um capital humano riquíssimo, apesar de todas as tentativas de sabotagem de obama, no entanto isso refletiu positivamente direto no índice de demanda por transporte ferroviário. E em um dos vários corredores ferroviários que chegam a Chicago, em Goshen, Estado de Indiana, há um corredor operado pela Northern Southern onde os trens cargueiros chegam a passar 100 Km/h. Lá passam 96 trens diários! Se considerarmos que Chicago é entroncamento para mais de 15 ferrovias, por lá se passa mais de 1.200 trens por dia!!!!!!!!!!!!!!!! Tentem imaginar o ar de um lugar desse! Por incrível que pareça, Chicago tem o horizonte 10 vezes mais limpo do que São Paulo! E vocês sabem que onde há trem, há muitos camiões... e como há! E lá nos EUA os camiões chegam a ter mais de 600 hp de potência! Imaginem os "baita!"

Fiquem com as imagens de uns dos NOVENTA E SEIS TRENS que cruzam a pequena Goshen em Indiana num corredor da Norfolk Southern!


PARA NÓS NUNCA ESQUECERMOS E RESGATARMOS A VERGONHA NA CARA!!!

FELIZ 31 DE MARÇO!


segunda-feira, 26 de março de 2012

NOTA DE AGRADECIMENTO!


Caríssimos!

Venho agradecer-lhes pela visitação constante. O blog está marcando uma média de 150 visitantes por dia! Isso é muito bom em se tratando de um blog de ferromodelismo no Brasil.

Estou organizando a minha vida para que eu possa trazer muitas novidades para vocês e o que posso afirmar agora é que tudo o que tenho tentado obter para até facilitar a nossa vida no hobby está sendo realizado após tantos esforços e inclusive perdas.

Quero adquirir equipamento novo para fazer vídeos decentes para vocês bem como comprar material de ferromodelismo e para mostrar que é possível fazer ferromodelismo altamente profissional no Brasil. E o que acontecer de ótimo no ferromodelismo para mim não será um resultado isolado, isso refletirá em vocês também.

Grande abraço,

Cristiano

PRODUTO DESTAQUE: TRIX Re620 SBB Cargo

Muitos de vocês podem se perguntar porque eu gosto das locomotivas suíças enquanto eu desgosto de tantas outras européias. A resposta é simples. Embora as locomotivas suíças do padrão Re têm um estilo que mais lembra um baú ou uma casa, elas têm uma uniformidade de estilo e mesmo elas, ao serem vistas de lado, têm um formato um pouco triangular, há alívios no estilo pesado de caixa motorizada com aplicações de detalhes como cromados, brazões, janelas simétricas e aquele estilo dos trenzinhos do Corcovado que tantas boas lembranças me trazem, porque as locomotivas suíças embora não têm um estilo similar das americanas, elas bem como os trenzinhos do Corcovado, lembram trens para passear e a paisagem contemplar como é a Re 620 que a alemã Trix (da Märklin) fabrica com gigantesca perfeição. A Re 620 é uma locomotiva puramente elétrica e possui bogie (truque) central móvel como visto em muitas locomotivas elétricas japonesas. O desenho frontal embora seja um tanto estranho à primeira olhada, ele é muito funcional. Os enormes para-brisas permitem o condutor ter uma visão privilegiada da ferrovia e os vidros dos cantos conduzem mais luminosidade e sensação de amplitude de espaço ainda maior. O teto embora possa não ter o estilo mais bonito entre as elétricas, de longe está para ser o mais feio porque não há exageros no desenho das partes e há uma simetria perceptivo no posicionamento delas. As frentes também mesmo elas dando uma forma triangular geral à locomotiva, o efeito é melhorado pela dobra delas como se fosse uma flexa o que contraria o estilo de "trenzinho do Corcovado" das janelas que as enormes lembram. Também o que ajuda deixar essa locomotiva um tanto aproximada ao padrão americano é a altura da saia que é mais baixa em relação a muitas locomotivas européias e a presença de estilosos limpa-trilhos que nem todas locomotivas européias têm o que deixa um aspecto pobre e inconsequente porque os limpa-trilhos evitam que automóveis ao serem colididos, sejam passados por cima pelas locomotivas. Enfim, mesmo esse estilo suísso é dado ao conceito de "caixa de sapato" ou Kombi das locomotivas européias, ele muito se diferencia do restante visto nos outros países europeus porque esses detalhes mecionados deixam as locomotivas como a Re 620 com aspecto mais leve.

Sobre o modelo, como a Trix é da Märklin e ela faz as locomotivas com corpos de metal, a Trix diferente da Fleischmann (Alemanha) e da Roco (Áustria), o modelo tem corpo de metal muito bem moldado e polido e o peso aumentado e a textura mais rígida e fria por isso passa uma sensação de realismo ainda maior. A locomotiva vem equipada com sistema DCC completo e sistema de som. Mas o modelo peca muito feio num detalhe. Os espelhos externos são gravados na pintura ao invés da superfície ter moldagem para assemelhar o detalhe aos espelhos instalados no corpo da locomotiva. Uma peça metálica moldada a laser poderia estar lá. No modelo feito pela Roco os espelhos são moldados no corpo e fechados. Mas em modelos recheados com tantos recursos de engenharia e mecatrônica que custam mais de 700 reais ou 300 euros, isso é imperdoável.

Nesta foto ela me lembra uma caixa de Toblerone

A Re 620 com uma Re 4/4 que é menor e a mais famosa entre as locomotivas deste estilo. A versão da Re 620 com truques C-C é a Re 6/6. A Re 4/4 tem truques B-B.

O vídeo do modelo em ação!

Re 620 / 6/6 em ação numa maquete

O conjunto Re 10/10

Construction and Technology (Re 620 - old name Re 6/6)
Construção e Tecnologia (Re 620 - antigo nome Re 6/6)

To reach the necessary tractive effort, a construction comprising six driven axles was necessary. In order to still get good running characteristics in curves, they were built into three two-axle bogies instead of two three-axle bogies as on the Ae 6/6. The middle bogie can move sideways, and the three bogies are connected by elastic cross couplings. Two of the four prototypes were built with a split locomotive body, whereby the joint may only move on an horizontal transverse axis, not on a vertical axis, to accommodate to gradient changes.
Para alcançar o efeito de tração necessário, a construção composta por seis eixos motores foi necessária. A fim de ainda ter boas características em curvas, eles foram construídos em três bogies de dois eixos ao invés de dois de três eixos como nas Ae 6/6. O bogie do meio pode mover para os lados e os três bogies são conectdos por engates cruzados elásticos. Dois dos quatro protótipos que foram construídos com um corpo de locomotiva divididos por onde a junção pode somente mover em um axis transversal horizontal e não vertical, par aacomodar mudanças de gradiente.

The other two prototypes got a softer secondary suspension instead of the joint, which proved to be so reliable in everyday use that all series locomotives were built this way.
Os outros dois protótipos tiveram uma suspensão mais leve ao invés da junção o que provou a ser confiável no uso idário que todas as séries de locomotivas construídas nessa maneira.

Nevertheless, the two prototypes with a split body are still in regular operation.
No entanto os protótipos com os corpos divididos ainda estão em operação regular.

The exterior design is similar to the Re 4/4II, as are the driver's controls and the conventional transformer technology with fixed running notches, which was applied for the last time for this locomotive. In contrast to the Re 4/4II, the Re 6/6 has two transformers (one power and one control transformer), which are mounted on the frame between the bogies. Due to the higher roof, the Re 6/6 looks more brawny than the Re 4/4II, especially when seen from the front side.

O desenho exterior é similar ao da Re 4/4II (versão 2) como os controles do condutor e a tecnologia de transformador convencional com pontos de rodagem fixos cujo foi aplicado pela última vez para esta locomotiva. Em contraste à Re 4/4II, a Re 6/6 tem dois transformadores (um para força e outro para controles) cujos são montados no chassis entre os bogies. Devido ao teto mais alto, a Re 6/6 aparenta mais rechonchuda do que a Re 4/4II, especialmente vista do lado da frente.


Operations
Operações

The Re 6/6 is equipped with multiple unit train control together with Re 4/4II, Re 4/4III, Re 4/4IV and RBe 540. In passenger traffic they pull heavy passenger trains over the Gotthard route (as an alternative to a double heading of Re 4/4). In freight traffic they are used all over Switzerland for heavy trains, on the Gotthard route very often together with an Re 4/4II or Re 4/4III. Such a couple, often referred to as "Re 10/10" (both locomotives are Re class, so the couple is Re class; 10/10 means that they overall have 10 driven axles out of 10), is capable of pulling the maximum train weight of 1300 tons on the 26 ‰ gradients of the Gotthard line. For heavier trains, up to 1600 tons are operationally feasible; an additional bank engine has to help push the train in order not to overload the couplers.
A Re 6/6 é equipada com controle de trem de unidade múltipla junto com a Re 4/4II, Re 4/4III, Re 4/4 IV e RBe 540. No tráfego de passageiros, elas puxam trens pesados pela rota Gotthard (como uma alternativa à tração dupla de Re 4/4). No tráfego cargeiro, elas são usadas por toda a Suíça para trens pesados. Na rota Gotthard muito frequentemente elas rodam engadas com as Re 4/4II e Re 4/4III (como as composições com SD40-2 e GP40-2). Tal dupla frequentemente referida à "Re10/10" (ambas locomotivas são da classe Re, assim a união é classe Re e 10/10 significa que elas no geral têm todos os 10 eixos motorizados, daí 10 de 10 ou 10/10) é capaz de puxar o peso máximo de trem de 1.300 toneladas em gradientes (graus) de 26% na linha Gotthard. Para trens pesados acima de 1600 toneladas são operacionalmente viáveis; um banco de motor tem que ajudar a empurrar o trem afim de não sobrecarregar os engates que são do tipo gancho, menos robustos do que os americanos automáticos usados no Brasil por exemplo.

Locomotive 11638 was retired and scrapped in 1990 due to an accident. For the renumbering to the UIC-conforming new numbering scheme in 1992, only the still existing locomotives were considered, thus the 11638 got no new number any more. But the renumbering was never done consistently. During 2005, the UIC numbering scheme was reworked, and 620 001 (instead of 000) was defined to be the smallest number. To make things easy, the scrapped 11638 also got a new number, 620 038. About half a dozen locomotives bore the new numbers at the beginning of 2006.
A locomotiva 11638 foi aposentada e destruída em 1990 duvido a um acidente. Para a renumeração de acordo com o esquema de numeração novo da UIC-União Internacional de Ferrovias em 1992, somente as locomotivas existentes foram consideradas, daí a 11638 não teve um número novo não mais. Mas a renumeração foi nunca feita consistentemente. Durante 2005, a numeração da UIC foi retrabalhada e o 620 001 (ao invés de 000) foi definido a ser o número menor. Para facilitar as coisas, a 11638 destruída também conseguiu um número novo, 620.038. Por volta de meia dúzia de locomotivas receberam os novos números no começo de 2006.

After two locomotives were tentatively equipped with radio remote control for pushing trains on the Gotthard line (such that the locomotive pushing at the end of the train might be controlled by the engineer at the front), about 30 locomotives were equipped with it in 2000. To make them administratively distinguishable, they got the new designation Ref 6/6.
Depois que as duas locomotivas foram tentativamente equipadas com controle remoto a rádio para empurrar trens na linha Gotthard (tal que a locomotiva empurrando no final do trem pudesse ser controlada pelo maquinista da frente), umas 30 locomotivas foram equipadas com ele em 2000. Para fazê-las administrativamente distinguíveis, elas obteram a nova designação Ref 6/6 (não Ref 620... o 6/6 voltou à prática nessa versão).

When SBB was divided into passenger services and freight, the first thirteen locomotives 11601–13 remained in the passenger division. On 1st January 2003 they were exchanged against Re 460. Now all remaining 88 locomotives are assigned to SBB Cargo. Due to the reassignment of the Re 460 to the passenger division, the Re 6/6 again dominate the freight traffic on the Gotthard line.
Quando a SBB (Schweizerischen Bundesbahnen) foi dividida em serviços de passageiro e carga, as primeiras treze locomotivas 11601-13 continuaram na divisão de passageiros. Em 1 de janeiro de 2003 elas foram trocadas pelas Re 460. Agora todas as 88 locomotivas remanescentes foram passadas à SBB Cargo. Devido à reeinscrição da Re 460 para à divisão de passageiros, a Re 6/6 agora domina o tráfego na linha Gotthard.

The locomotives are assigned to the workshops Erstfeld, Bellinzona and Lausanne (Lausanne: 2000, today unknown), revisions are done at the main workshop at Bellinzona.
As locomotivas inscritas aos depósitos de manutenção Erstfeld, Bellinzona e Lausanne (Lausanne: ano 2000, hoje desconhecido) e as revisões são feitas no depósito principal de Bellinzona (lado sul da Suíça onde se fala italiano além do alemão).

Production and service data
Build date1972, 19751980
Road numbers11601 – 11689
Road numbers (UIC)Re 620 001
– Re 620 089
Production89
Still in use88
ServicesPassenger and
freight trains;
Today mostly freight
Maintenance facilityBellinzona
End of operationdue to accident (1)
Technical data
Vehicle typeElectric locomotive
BuilderSLM Winterthur
BBC Baden
SAAS Geneva
Wheel arrangementBo'Bo'Bo'
Top speed140 km/h
Power7850 kW
Power output10700 Hp
Continuous traction270 kN
Maximum traction398 kN
Performance on inclines800 tons train
on a 26 ‰ gradient
at 80 km/h
Size and Weight
Length over buffers19'310 mm
Width2950 mm
Height3932 mm
Weight120 t
Other
Special characteristics2 of the 4 prototypes have
a split locomotive body
PredecessorAe 6/6
SuccessorRe 460, Re 482

Datei:Re620 055-4.jpg

A SOLIDEZ DO SISTEMA FERROVIÁRIO SUÍÇO!

Este post é muito emocionante. Nele eu trago lindos vídeos que reproduzem a emoção do sistema ferroviário suíço que é muito sólido e rico.

Erstfeld e Wassen

Um típico combio da CrossRail que tem aproveitado muitas locomotivas da SBB e nela (CrossRail) elas continuam a trilhar como locomotivas recém-construídas!

Em Rotkreuz (Cruz Vermelha) um monte de trens "elétricos pesados" com quatro locomotivas, coisa raríssima na Europa e uma imagem que nem sempre é mostrada já que os trens suíços compostos por uma ou duas locomotivas são os mais fotografados.







1 HORA DE TRENS EM ZURIQUE! - AN HOUR OF TRAINS IN ZÜRICH!

ESTE MAGNÍFICO VÍDEO DE 1 HORA MOSTRA TODA A MOVIMENTAÇÃO DE TRENS NA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE ZURIQUE! O VÍDEO FOI GRAVADO DO ALTO DO RESTAURANTE DA TORRE DE OBSERVAÇÃO "PRIME"!

Clique no cabeçalho do post (tópico) para assistir o vídeo com menos fluxo de informação a carregar na memória do seu computador! Para melhor definição, escolha a opção 1280 pixels.

AOS PAIS: BANDIDOS DO PSDB E DO PT PROTEGEM ESTUPRADORES EM DETRENIMENTO DAS CRIANÇAS ESTUPRADAS!!!!!!!

A MÍDIA ESTRUPADORISTA ESTÁ ABAFANDO ISSO!
TEMOS DE PROTESTAR!!!! NÃO ADIANTA PROTESTAR CONTRA A CORRUPÇÃO SEM APONTAR OS NOMES DOS CORRUPTORES!

Dupla gay estupra menino de 5 anos e recebe proteção especial do governo do Estado de São Paulo

Julio Severo

O que um pastor e uma dupla gay têm em comum? O pastor, depois que sua filha sofreu tentativa de estupro num posto de saúde, foi denunciado por uma agente do Conselho Tutelar que é parente do agente tarado do posto de saúde. O pastor está preso em condições desumanas, sem nenhum defensor para ajudar. A dupla gay foi presa por maltratar e estuprar um menino, e conta com quatro defensores públicos para ajudar.

Em 7 de março de 2012, a Band noticiou sobre um menino de 5 anos que sofria agressões e estupro de uma dupla homossexual em São Paulo. A faxineira da casa percebeu que o menino estava com febre e como a dupla gay não estava, a mulher o levou para casa. Durante o banho do garoto, ele contou que estava com muita dor. O menino contou para a faxineira que sofria maus tratos e abuso sexual.
A mulher levou o menino para o hospital, onde o garoto deu entrada com desidratação, desnutrição, broncopneumonia e tinha marcas de agressão pelo corpo.
A ocorrência foi registrada no 13º DP e o Conselho Tutelar foi acionado. Contudo, o governo do Estado de São Paulo interveio fortemente no caso, designando quatro defensores públicos para defender a dupla gay. O acompanhamento do caso por quatro defensores públicos espantou até o delegado, que disse:
“Em trinta e quatro anos de polícia, esse é o primeiro caso na minha carreira que eu vejo que a Defensoria Pública vem acompanhar dois indivíduos que estão sendo investigados e com quatro integrantes”.
Defensores públicos não costumam atuar durante inquéritos. Um indivíduo investigado pela polícia ser acompanhado por um defensor público é um fenômeno raro. Ser acompanhado por quatro é totalmente fora da realidade. O que provocou essa enorme anormalidade foi que o Estado de São Paulo, sob o governo do então governador Geraldo Alckmin (PSDB), tornou-se o primeiro Estado brasileiro a instituir uma lei para penalizar a prática de discriminação em razão de orientação sexual: a Lei Estadual nº 10.948/2001. Com o objetivo de implementar essa lei pró-homossexualismo, firmou-se, em 24 de outubro de 2007, um acordo entre a Defensoria Pública de São Paulo, a Secretaria de Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado e a Coordenadoria de Assuntos da Diversidade Sexual da Prefeitura de São Paulo.
O PSDB vem trabalhando loucamente para implantar o sistema anti-“homofobia” mais sofisticado do Brasil e a condenação da dupla gay pode trazer impactos negativos não só para o movimento gay, mas também para as políticas do PSDB. Portanto, o acompanhamento da dupla gay por quatro defensores representa o empenho do Estado de São Paulo do PSDB de proteger os gays exclusivamente porque eles praticam atos homossexuais.
Os interesses do menino agredido e estuprado estão sendo colocados abaixo dos interesses da agenda gay e das obsessões políticas do PSDB.
Entretanto, como é que os Conselhos Tutelares não têm força para vencer todos esses interesses cruéis que colocam em risco um menino de apenas 5 anos?
Um ano atrás, um pastor foi preso por muito menos. Aliás, ele foi injustiçado por obedecer à Bíblia. O Pr. Jeremias Albuquerque Rocha, de 25 anos, foi preso depois que uma agente do conselho tutelar o denunciou por bater em suas filhas, pelo que ele foi acusado de “tortura”.
Apesar de que nenhuma evidência física tivesse sido apresentada ao juiz, Rocha foi colocado em detenção preventiva, numa cela de prisão tão cheia de presos que ele era forçado a ficar de pé o dia inteiro, e tinha de dormir agachado no chão, que estava coberto de papelão.
Ele ficou meses nessa situação. Em nenhum momento se apresentou algum relatório médico documentando qualquer marca física nas suas filhas nem houve nenhum exame físico confirmando ferimentos — provas que a lei exige. Em agosto de 2010, Rocha havia, conforme as reportagens, começado a chorar e desmaiar dentro de sua cela. Quando foi levado a um hospital próximo e diagnosticado com doença mental, o juiz Jânio Tutomu Takeda se recusou a acreditar no diagnóstico, afirmando que Rocha estava “fingindo”, e ordenou que ele fosse algemado à cama do hospital.
Pastor injustiçado e sem nenhum defensor público
Takeda disse que condenou Rocha e o sentenciou a seis anos e meio de prisão.
O maior problema do Pr. Rocha não foi ter disciplinado suas filhas fisicamente. Muito antes de sua prisão, uma de suas filhas havia sofrido tentativa de estupro no posto de saúde. O agente de saúde assediador é parente da agente do Conselho Tutelar que denunciou mais tarde o pastor. Final infeliz: o agente assediador não foi preso por tentativa de estupro contra uma menina.
Final mais infeliz: mesmo sendo inocente, e nunca tendo praticado maus-tratos e estupro contra suas filhas, o pastor está preso em condições desumanas sem nunca ter tido o acompanhamento de defensores públicos — privilégio hoje exclusivo de homens que praticam atos homossexuais e estupram meninos de 5 anos.
O tarado sexual que trabalha no posto de saúde está livre para prosseguir seus assédios e taradices nas meninas dos outros. O governo, é claro, não tem tempo de ajudar pais inocentes e prender maníacos sexuais nos postos de saúde. O governo está ocupado demais cuidando de duplas gays que se ocupam com meninos de 5 anos.
Aqueles que estão dentro da agenda do governo — agentes de saúde tarados, duplas gays taradas, agentes de Conselho Tutelar abusivos, etc. — contam com a máquina estatal para dar acobertamento.
Pais, mães e crianças que não estão dentro da agenda do governo contam só com Deus.

domingo, 25 de março de 2012

O QUE É A VIDA NA REDE UNION PACIFIC - WHAT LIFE IS AT UNION PACIFIC NETWORK!

este post ainda está sendo editado


Union Pacific 844 e um monte de trens à alta velocidade a leste de Cheyenne, WY (Wyoming) no dia 22 de março.

OS RÁPIDOS TRENS DA UNION PACIFIC!
Very Fast Union Pacific #5969 Coal Train, Great Horn in Marion, IL

Trens pesados (carregados) na ida e na volta na região de Hallsville, TX (Texas), setor da Little Rock Subdivision (Rock Island). A cada tomada de vídeo, um trem mais rápido do que o outro. Só trens realmente longos! Notem que paisagens ótimas para reproduzimos em nossas maquetes com produtos da Woodland Scenics!

Mas que tal vivenciar a Union Pacific dentro de uma locomotiva EMD justo em Oregon????

Em Centralia, IL

Fast eastbound Union Pacific stacker at X Avenue, Boone County, Iowa

N está cada vez mais HO!

A cada ano que passa, mais os produtos de ferromodelismo na escala N (1:160) estão mais aperfeiçoados que chegam ao nível de detalhamento e fidelidade às proporções como os mais modernos produtos na escala HO. A japonesa Kato veio a surpreender com a SD90-43MAC da lindíssima Indiana Railroad. "Take a closer look" e prestem atenção aos detalhes!

Kato USA N scale Electro-Motive Division SD90/43MAC diesel locomotive

A "fofuxinha" custa 115 dólares e está disponível também nas pinturas Canadian Pacific (brasão “Golden Beaver”), and Union Pacific (“We will deliver”). Além dos recursos eletrônicos para rodar sob controle digital, ela é equipada com motor de 5 polos... "helloooooo!!!!" O detalhamento ficou muito preciso nos truques, janelas, rodas, saídas de ar e handrails além das mangueiras e limpadores de para-brisas.

Ah! As "ditch" lights também piscam com sicronismo! "Hellooooo!!!!" Quanto custa uma locomotiva fora da escala, sem detalhes externos aplicados separadamente, com sistema de caixa de engrenagens rudíssimo e sem qualquer preparação para DCC? Cento e cinquenta, duzentos, trezentos e quarenta reais? Penso que a boa vontade não pode ser suplantada só porque ela vem de fora. Isso tem um nome... diferente de democracia e capitalismo... Mas voltemos à continuação da matéria...

Não só isso, mas a Kato também lançou o kit de vagões porta-containers Gunderson Maxi-Stack IV com seis containers. Cada kit custa no máximo 110 dólares. Olhando assim, é impossível perceber que o produto foi modelado na escala N, a não ser pelo tamanho dos engates.
Também a Kato está oferecendo o kit do trem metropolitano da Metra com a novíssima locomotiva MP36PH da Motive Power Wabtec que hoje ocupa espaço da divisão de locomotivas de passageiros da antiga Electro-Motive Division que após ser vendida pela GM à Caterpillar através de sua subsidiária de transportes ferroviários Progress Rail Services Corporation ficou com a gigantesca fábrica de LaGrande, Illinois para cuidar só da produção de locomotivas de cargas. Notem que os padrões dos truques e do estilo da locomotiva são justamente dos da EMD quando ela produziu a F59PH para a Amtrak. O kit sai na faixa de 145 dólares. Nada mal.


E por fim, o lindíssimo vídeo de altíssimo bom gosto da Kato para promover o novo produto para os colecionadores de trens em escala N, o Santa Fe Super Chief. Sonhem com as imagens e transportem-se ao tempo com a música!


Kato USA shares a look at a late 50's era ATSF train consist, modeled using cars from Kato USA's N Scale "Santa Fe Super Chief" and "Santa Fe El Capitan" Classic Name Train passenger sets. During the years of these "consolidated" trains, both the "Super Chief" and "El Capitan" retained their respective names, numbers, and schedules, despite running as a combined consist during the spring and fall seasons.

This 1959 prototypical 18-car consist is made up of cars taken from the following sets:
#106-076 - Santa Fe "Super Chief" 8-Car Set
#106-6004 - Santa Fe "Super Chief" 4-Car Add on set
#106-077 - Santa Fe "El Capitan" 10-car Set
#106-7116 - Santa Fe "El Capitan" 2-Car Add on set (baggage car only - the number of these cars would vary on the trains making this set optional)

Pulling this consist is a set of four F7 locomotives running in ABBA formation, but it could also be pulled by F3's, which are new in stock this month to accompany the latest "El Capitan" release.

Atlas 50' Berwick Boxcar



Desde o finalzinho do ano passado, a Atlas tem disponibilizado no mercado os vagões caixas (fechados) Berwick de 50' (15,24 m) que na escala HO (50 x 30,48 / 87) mede 17,51 cm. Esse modelo de vagão roda até hoje nas ferrovias americanas e tem 39 anos de lançado. Pelo seu desenho contemporâneo, parece menos, mas ele foi lançado no mercado das ferrovias norte-americanas em 1972! Os preços máximos da miniatura é de 25 dólares para a versão sem pintura e 29 dólares para a versão com pintura. No entanto é fácil encontrar preços menores no mercado americano já que esses são os preços máximos sugeridos. Abaixo a lista de referências e pinturas. Elas são equipadas com engates Accumate da Accurail, detalhes externos separados (embora uns nem parecem de tão bem ajustados ao corpo do vagão), rodas escurecidas proporcionalmente e sistema de freio detalhado.

Item#Road NameRoad Number
HO 50' Berwick Boxcar
20 001 344Undecorated-
20 001 345BNSF725561
20 001 346BNSF725563
20 001 347BNSF725594
20 001 348C&NW (Small Logo)156045
20 001 349C&NW (Small Logo)156101
20 001 350C&NW (Small Logo)156177
20 001 351Ferromex (2nd Panel Logo)872175
20 001 352Ferromex (2nd Panel Logo)872238
20 001 353Ferromex (2nd Panel Logo)872249
20 001 354IC (w/Logo)501121
20 001 355IC (w/Logo)501138
20 001 356IC (w/Logo)501144
20 001 357Canadian National (IC)501171
20 001 358Canadian National (IC)501190
20 001 359Canadian National (IC)501196
20 001 360Minnesota Commercial Rwy1313
20 001 361Minnesota Commercial Rwy1317
20 001 362Minnesota Commercial Rwy1320
Products bearing C&NW marks are made under trademark license from Union Pacific Railroad Company.